Pertencimento como motivação, atitude e engajamento corporativo

Este tema tão relevante é pouco explorado e trabalhado no campo corporativo. Nós já praticamos o sentimento de pertencimento em nossa casa, na igreja, no clube, no time de futebol, no grupo de amigos, na academia, na música, nos autores de filmes, livros e poesias. E por que não na empresa? Por que, na maioria das situações, não existe identidade, comprometimento e conexão com a empresa?

As empresas alocam investimentos em cursos de motivação, em pesquisas de climas, em sistemas de avaliações, em desenvolvimento gerencial, em formação de líderes e outras ferramentas, procurando incessantemente pela produtividade e eficiência das suas operações, e também melhorar a gestão do negócio.

As técnicas citadas acima são trabalhadas como roteiros de uma ciência exata e são ações que vêm de fora para dentro da empresa, tentando trazer soluções e metodologias que nem sempre têm aderência à cultura existente. Todas essas ações são relevantes e devem, sim, com todo cuidado e planejamento, estar no radar das empresas.

Porém esquece-se de cuidar da sua saúde emocional, da sua alma, de contar e aprofundar a sua própria história, e é aí que entra o sentimento de pertencimento, proporcionando vínculos, gerando força e compartilhamentos como base de sustentação aos desafios aos quais a empresa é submetida. E o pertencimento pode ter a sua essência desenvolvida e estimulada dentro da própria empresa.

Os gestores deveriam recorrer às terapias, para dar valor, entender e trabalhar melhor os vínculos e conexões existentes em uma organização e o quanto estes devem ser cuidados, zelados, aprendidos e estimulados. Face à urgência nos resultados, à soberba e à inflexibilidade do diálogo, esquece-se de trabalhar e valorizar o pertencimento.

Mais do que preparar os profissionais tecnicamente, deve-se engajá-los verdadeiramente e torná-los cúmplices positivos da empresa, despertando-lhes o prazer, o orgulho e a emoção de estar ali e poder fazer parte da continuidade da história, de uma causa coletiva, que também pertence a todos, construindo-a e mantendo-a viva no dia a dia.

O desenvolvimento e a manutenção do sentimento do pertencimento possibilitará a criação de um vínculo forte, a sensação do estar juntos, a empresa e seus colaboradores, tornando os objetivos verdadeiramente comuns, vivos e atingíveis. E, assim, ter a sensação plena de estar contribuindo e fazendo parte de uma história. Isso é pertencimento. Uma vez experimentado, os seus resultados e seus efeitos são positivos e prósperos para as pessoas e para o ambiente.

O que significa, qual a importância e a sensação de pertencimento?

Significa que precisamos nos sentir como pertencentes a tal lugar e ao mesmo tempo sentir que esse tal lugar nos pertence, e que assim acreditamos que podemos interferir e, mais do que tudo, que vale a pena interferir na rotina e nos rumos desse tal lugar. (Fonte: Henrique – RJ).

Reflexões silenciosas:

Isso faz sentido? O que muda na minha vida ter e praticar esta atitude?

 

Como o sentimento de pertencimento pode ser despertado em um ambiente organizacional?

Pela história, alma e alegria de estar ali. Pelos valores, sendo o principal, o respeito. Pela identificação de objetivos compartilhados, reconhecimento, diálogo, geração de conhecimento e a percepção de evolução. Pela transparência das atitudes, valorização da comunicação, do trabalho e da integração das equipes, cumplicidade e alvo comum nos objetivos, orgulho e engajamento. Por sentir-se feliz e pelo sentido de vida.

Reflexões silenciosas:

Eu percebo estas atitudes na organização e nos meus líderes? Eu ajudo a construí-las e a mantê-las vivas? Eu me sinto dentro da história da organização? Eu gosto do que faço e do lugar onde estou? O meu trabalho é importante para a continuidade desta história?

Quais são os reflexos mais visíveis da existência de pertencimento dentro da organização?

Dinâmica da Totalidade: informação e atitude isoladas versus informação dialogada, flexível e compartilhada. Deve-se amenizar a unilateralidade, o isolamento, o impermeável.

Organização Nutrida: dinâmica do diálogo, da cumplicidade e da nutrição dentro e entre os departamentos + energia para pensar + entendimento do negócio + objetivos comuns + sentido de complementar-se um ao outro + funcionamento saudável + equilíbrio das necessidades + estímulos a empreender, aos pensamentos criativo e inventivo, ao contraponto + presenças do prazer e da alegria em fazer porque gosta, sente-se bem.

Essência no Foco (em equilíbrio com a dinâmica da totalidade): movimentos coerentes, contínuos e progressivos + trabalhos e esforços integrados + conhecimento e compreensão claros das partes, do todo e do mercado de atuação (agregar valor ao negócio), dos alvos e resultados atingidos e compartilhados.

Quais são os reflexos mais visíveis da existência de pertencimento em um departamento?

Percepção da sua importância na estratégia da organização. Percepção da dinâmica da totalidade. Motivação para facilitar a integração, o diálogo, o servir, o construir e o apoiar. Valorização do diálogo e das conexões com os clientes internos (outros departamentos). Percepção da importância do papel dos seus profissionais no sucesso da organização. Postura e estímulo no entendimento das suas atividades e dos demais departamentos, possibilitando, assim, antecipar-se às necessidades exigidas por eles e pela organização. Sentir-se colaborador e responsável pelos controles internos, eficiência e agilidade das informações, pela melhoria e qualidade do relacionamento interdepartamental. Ser cúmplice dos valores da organização e da missão do departamento.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Comentários   

 
Vera Oliveira
#2 RE: Pertencimento como motivação, atitude e engajamento corporativoVera Oliveira 06-03-2014 12:25
Muito pertinente este artigo, haja vista que as organizações estão carentes de comprometimento não tão somente de seus colaboradores, mas principalmente de seus gestores que precisam desenvolver essa qualidade, ou melhor, criar um ambiente própício para gerar essa condição. Vera Oliveira
Citar
 
 
José Carlos Zanetti
#1 Pertencimento como motivação, atitude e engajamento corporativoJosé Carlos Zanetti 20-11-2013 17:36
Olá Amigo Santos, como vai você?!
Parabéns mais uma vez pelas colocações tão oportunas.
Saiba que suas reflexões são referencias para as nossas!
Continue amigo, pois, suas ações fazem a diferença!
Abração
Citar
 

Pesquisar

Visitantes

Hoje10
Ontem25
Semana35
Mês371
Tudo44610

Kubik-Rubik Joomla! Extensions

Newsletter

Assine nossa newsletter!